O Jesus que nos foi roubado

img_3455

Texto base da pregação do teólogo Ronilso Pacheco: Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. Romanos 1:16

Nos roubaram a justiça trazida por Cristo.
Por que Paulo fala que não tem vergonha do evangelho? Paulo se refere à boa nova de Jesus e sua narrativa, na qual o outro tem lugar na existência. Ele se apega a narrativa do Nazareno, se apega a força da simplicidade da vivência Dele. Nesse mundo complexo, cheio de atravessamentos que a gente tenta controlar e estabelecer relações de poder, o apóstolo descobre que a justiça não é regrada nem pela lei, nem pela letra, mas sim pelo verbo encarnado. Jesus é como Deus age. Isso é justiça. Por isso o justo viverá da fé ao buscar repetir os atos de Jesus e inspirar pessoas a ser como Ele.
Nos Roubaram a liberdade que Cristo nos deu.
A verdade do evangelho traz a novidade de sermos livres para ser quem cada um de nós é. O que de Deus se pode conhecer é lido em cada um de nós. Não existe uma forma correta e objetiva de Deus se manifestar e ser compreendido. Não é possível ser livre e ao mesmo tempo se anular para ser aceito num corpo doutrinário. Deus cria na liberdade. Deus pode se manifestar e ser compreendido a partir de qualquer um de nós. A verdade é uma força que vem de dentro para fora, e que nos leva a uma vida de paz e comunhão, conforme Jesus viveu e anunciou. O acesso ao reino dos céus não pode ser legalizado. O nível de verdade e liberdade de Jesus é ameaçador e subversivo.
Nos roubaram o Jesus das ruas.
Nos roubaram o Jesus das ruas e deixaram o Jesus templário, onde a figura do templo é central. O Templo vai dizer quem é Jesus. Se sua experiência com Cristo não casa com a descrição hegemônica que é elaborada a partir do templo, ela então não é viável, nem tampouco verídica. Mas Jesus criticava o templo e suas práticas que afastavam o povo do carinho e do afeto do Pai. Como consequência desse Deus privatizado pelo templo, nos roubaram o Jesus do serviço e deixaram o Jesus do poder. Deixaram um Jesus que precisa ser o tempo todo ser colocado num lugar de poder. Mas a narrativa do evangelho mostra que Ele nega o poder e a relação hierarquizada que busca definir quem é o maioral. Jesus caminhava olhando para as margens.
Nos roubaram o Jesus afetivo.
Nos roubaram o Jesus afetivo e nos deixaram uma pessoa fria, sistemática e legalista. O Filho de Deus que nos restou não dialoga com as pessoas, tem frases prontas e soluções objetivas seja para dramas individuais complexos, seja para cenários sociais injustos. Deixaram alguém distante Daquele que dialogou abertamente com a mulher samaritana sem se escandalizar ou julgá-la. O mesmo que também desviou sua atenção em favor do afetivo, da proximidade, para o toque em detrimento dos protocolos hipócritas da casa do fariseu, o qual se surpreendeu com a recepção de Jesus à prostituta.
Nos roubaram o Jesus que sofre.
Nos roubaram o Jesus que sofre e deixaram o Jesus que sequer sente dor. À crucificação Dele é o link com todos aqueles que sofrem cotidianamente, com assassinatos, torturas e desigualdades sociais. Ele foi no limite para se identificar com aqueles que padecem. Nos roubaram o Príncipe da Paz que teve medo, o Rei dos reis fracassado. Não é possível saltar da morte para a Ressurreição de Cristo e desconsiderar a dor, sofrimento e adversidades que Ele passou. O Leão da tribo de Judá aterrorizou-se com capacidade que os homens têm de produzir a morte.
Nos roubaram o Jesus desobediente e rebelde.
Nos roubaram o Jesus desobediente e rebelde e deixaram uma figura que presta para lastrear toda lei e toda regra, independentemente das suas consequências. A história Daquele que afrontava o império e sua forma, regrada, disciplinada e pesada de funcionar, foi suprimida. Pensar Jesus e cada uma das suas falas sem pensar no contexto do império romano, é como pensar Martin Luther King e suas pregações deslocando-se do contexto de luta por diretos civis nos EUA.
A saída encontrada pelos que se apropriam do evangelho para fins escusos, foi desistoricizar a narrativa bíblica e colocar no lugar um filho de Deus enfadonho, domesticado e que serve de exemplo para disciplinar o povo e fazê-lo mudo.
No rastro desse arremedo de Cristo que, no limite nos encoraja a “orar pelo Brasil”, fazemos a leitura de romanos 13 que encastela todos os poderes que machucam, brutalizam, entorpecem e empobrecem o povo. A despolitização de Jesus, a criação do Deus descafeinado, suave e tranquilo serve àqueles que se alimentam da carne humana que perece.
Como nós podemos ir atrás desse Jesus que nos foi subtraído do nosso horizonte e irmos ao seu encontro? Vamos pela simplicidade de Paulo: “Eu não me envergonho do evangelho de Cristo.”

1 ideia sobre “O Jesus que nos foi roubado

  • A paz ! Uma coisa me intrigou muito nesta passagem, você chama Jesus de Desobediente e rebelde , na passagem de Romanos , Paulo diz que Cristo foi obediente a Deus , que o pecado entrou no mundo pela desobediência de Adão , e através do obediência do segundo Adão , o Cristo , recebemos a Justificação por meio da sua morte e ressureição ! Jesus não era rebelde , ele não se rebelou, ele veio cumprir a Lei de Deus , ser o cordeiro morto! Também na carta de romanos Paulo fala a respeito da submissão às autoridades , onde o próprio Cristo fala de a César o que é de César e de ao reino dos céus o que pertence ao reino dos céus ! Ele quer dizer que existe as leis dos homens que devem ser cumpridas , que foi Deus que estabeleceu “ Romanos 13:1. Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. – está nas escrituras !!
    Você fala de um Jesus templário , na palavra Cristo sim denúncia o que os religiosos da época estavam fazendo no templo que é infelizmente a continuação dos tempos de hoje, realidade em muitas das igrejas evangélicas e católicas com seus templos imensos e ricos! Mas Cristo fala que o templo somos nós , que não precisaríamos mais de um sacerdote como na época pra ir até Deus , pois o véu se rasgou! Através do sangue derramado !
    Não vejo você fala do batismo , não vejo você falando o evangelho genuíno “ arrependei-vos pois é chegado o reino dos céus “! Fala de João Batista , o mesmo que o pastor Henrique citou esses dias como exemplo nosso seu discurso ! Que evangelho é esse que pregam ? Que não falam nenhuma vez no Espírito Santo , na intimidade com Ele? Não falam em arrependimento , em largar o velho homem e viver uma nova vida , quem é esse Cristo que vocês falam aí? Não estou aqui pra acusar ou julgar , vcs me deram uma opção de comentar , e isto que estou fazendo ! Aguardo resposta .. sempre na paz que excede todo entendimento !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com